Voltar para listagem
Autor(a):

Fundação Laço Rosa

Fundação Laço Rosa

Data do Post
06/08/2019
/

Mulheres empreendedoras para se inspirar

Empreendedorismo e o câncer

Depois daquele “baque” que você teve quando recebeu seu diagnóstico, muitas coisas devem ter passado pela sua cabeça, certo? Neste momento, manter-se motivada e positiva é fundamental, até mesmo para melhorar os resultados do seu tratamento. Embora essa etapa não seja nada fácil, é importante que você busque sentir-se feliz e estimulada a sempre melhorar a sua qualidade de vida.

Para colocá-la para cima, nada melhor do que conhecer histórias inspiradoras, não é mesmo? Histórias de mulheres guerreiras que venceram esse problema tão difícil pelo qual você está passando, deram a volta por cima e, de quebra, conquistaram o sucesso nos negócios.

Saiba que o empreendedorismo e o câncer podem estar ligados em algumas situações. Conheça agora três trajetórias incríveis e que vão fazer você repensar as suas motivações. Preparada?

Andréa Magalhães

Andréa Magalhães foi diagnosticada com câncer de mama aos 32 anos. Naquele momento, o medo, a dor e a angústia tomaram conta do seu estado emocional — sem contar que sua autoestima ficou lá embaixo por conta da perda de cabelo. Mas ela mesma afirma que o câncer, além de ter sido um duro golpe, a fez enxergar muitas coisas em sua vida.

A partir daí, Andréa tomou forças para abandonar o emprego que não a fazia feliz e focou no que realmente amava: arte e gastronomia. Nisso, ela teve um insight e decidiu trazer um pouco da tradição do seu estado natal (Pernambuco) para onde ela morava (Rio de Janeiro). Começou a vender o “bolo de rolo” e foi um sucesso só! Hoje, ela tem uma pequena empresa de bolos artesanais, a Le Charme Doux e se sente muito feliz por não ter deixado o câncer enterrar os seus sonhos.

Lucila Mara Palomares

Em 2011, aos 61 anos, Lucila Mara Palomares foi diagnosticada com câncer de mama. No mesmo ano do seu diagnóstico, ela passou por cirurgia e quimioterapia. Durante todo esse processo de tratamento, tomou uma decisão importante em sua vida: “não adiar mais o sonho de ser empreendedora”.

Em abril de 2013, Lucila abriu a franquia da rede Sigbol Fashion e, a partir daí, começou a ministrar cursos profissionalizantes na área da moda. Ela ainda conta que pensar em empreender a ajudou a vencer o câncer, pois isso a motivou a lutar contra a doença.

Bia Azevedo

Com apenas 18 anos, Bia Azevedo teve que enfrentar um dos maiores desafios de sua vida: vencer o câncer. Ela foi diagnosticada com um linfoma de Hodgkin, um tipo de câncer que afeta parte do sistema imunológico. Durante sua luta, teve que passar por quimio e radioterapia, e ainda ficou um mês sem sair do quarto, tendo contato apenas com a sua mãe.

Desde que foi diagnosticada, Bia sempre acreditou que aquilo era apenas uma fase e foi dessa forma que ela superou o câncer. Hoje, ela tem a sua própria empresa (uma agência de comunicação), e isso só foi possível graças à sua perseverança. Ela agarrou oportunidades e fez as coisas acontecerem.

Percebeu como o empreendedorismo e o câncer conseguiram mudar vidas? O que achou dessas histórias incríveis de superação? Você também pode fazer parte desse time de mulheres empreendedoras que não olharam o tamanho do seu problema. O que elas têm em comum é que todas acreditam na cura. Faça isso você também. Não desista dos seus sonhos e lute como uma guerreira!

O que acha de nos acompanhar nas redes sociais para conhecer melhor nosso trabalho, e ainda ter acesso a mais conteúdos interessantes como este? Estamos no Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn e YouTube!