Pós cirurgia

Independente da cirurgia realizada na mama, para prevenir complicações, dar uma boa recuperação funcional e maior qualidade de vida para as mulheres, a fisioterapia precoce é totalmente recomendada. Ela deve ser praticada em todas as fases do câncer, desde o pré tratamento até a pós cirurgia. Em cada uma das fases é necessário identificar não só as necessidades do paciente, mas também os impactos nas atividades do dia a dia.

Pré Operatório

A atuação do fisioterapeuta tem como objetivo identificar fatores para poder atuar também no pós operatório. Ele tem que avaliar a presença de alteração de postura e tensão na região do ombro e do pescoço, orientando o paciente. É também um momento do paciente desabafar, mostrar seus medos, expor suas dificuldades e tirar suas dúvidas. 

Pós Operatório

O paciente sofrerá com muitas limitações nessa fase, sendo essencial o tratamento com a fisioterapia. Essas limitações são causadas pela dor, pela tração da pele e dos músculos da axila, tórax e braço. Ele terá dificuldades como: vestir roupas, escovar os cabelos, colocar a mão na nuca, abotoar o sutiã. É muito importante o uso do sutiã compressivo, porque ela ajuda a pele a colar, evitando o inchaço na mama e no tórax.

A fisioterapia tem como objetivo voltar com o funcionamento do braço, diminuir a dor, prevenir complicações com a respiração e prevenir a formação de fibroses, cicatrizes e aderências. Nessa fase também é identificado alterações neurológicas que ocorreram durante a operação. O fisioterapeuta irá orientar exercícios leves para os braços, como posicionar o braço com o auxílios de travesseiros e como treinar a respiração, recuperando a função pulmonar, a automassagem que o próprio paciente fará em seu corpo, como uma drenagem linfática.

O paciente estará de alta hospitalar em alguns dias se não houver complicações pós-operatórias, indo para casa com os pontos e com os drenos. Como nas primeiras semanas é bem provável que o paciente esteja com o dreno, ele não deve levantar seu braço acima de 90º para que a ferida operatória não se abra. 

Os pontos são retirados 15 dias após a operação se não houverem complicações, liberando também a movimentação completa dos braços. Exercícios de alongamento e ganho de força muscular serão realizados, além das técnicas de drenagem linfática. A reabilitação precoce proporciona ganhos na movimentação do braço, prevenindo aderências e disfunções.