Voltar para listagem
Autor(a):

Laço Rosa

Laço Rosa

Data do Post
18/02/2019
/

Conheça a história do câncer de mama

Cientista realizando pesquisa em laboratório

De sinônimo de trauma e mutilações a uma doença com boas chances de cura: o histórico do câncer de mama mostra os avanços que o seu tratamento teve no mundo e, mais especificamente, no Brasil.

Ao analisar essa trajetória, torna-se claro que o acesso a informações e à realização de mamografia é uma evolução importante no combate à doença. No entanto, ainda é necessário que mais pessoas se conscientizem e passem a lutar por essa causa.

Quer entender melhor essa história? Acompanhe nosso post e conheça os primeiros registros e avanços tecnológicos no diagnóstico e tratamento do câncer de mama!

 

Origem do câncer

De acordo com a publicação A mulher e o câncer de mama no Brasil, do Ministério da Saúde, foram os egípcios e gregos que fizeram os primeiros registros de tumores nas mamas.

O médico Siddhartha Mukherjee, autor do livro O Imperador de Todos os Males, retrata a história da doença e diz que a descrição médica mais antiga que se conhece é de 2.500 a.C., atribuída ao sacerdote egípcio Imhotep. São descritos 48 casos médicos e um deles se refere a uma “massa protuberante no seio”, o que indicaria um câncer de mama.

A palavra câncer foi utilizada pela primeira vez por Hipócrates para denominar uma massa com formato de caranguejo enterrada sob a pele.

 

Marcos no mundo

Os registros mostram que, em 1778, em Londres, a cirurgia era a recomendação para o câncer de mama localizado. Em 1890, é realizada a mastectomia radical para a eliminação do tumor (com a retirada de músculos do tórax e nódulos da axila).

Já no início do século XX, houve tentativas de eliminar o tumor com Raios-X. Somente em 1950 teve início a realização de cirurgias com mastectomia simples e de retirada de nódulos.

Em 1976, ensaios clínicos apontaram que a cirurgia conservadora de mamas, acompanhada da radiação, poderia ter resultados similares à mastectomia radical.

Em 1985, cientistas descobrem a versão humana do gene cancerígeno HER2 e, em 1987, são publicados dados que mostram a ligação do HER2 com um tipo agressivo de câncer de mama.

Em 1993, é descoberto o gene BRCA1, ligado também ao câncer de mama.

 

Controle da doença no Brasil

Veja, a seguir, iniciativas importantes no Brasil:

 

Avanços tecnológicos

Quando se fala no histórico do câncer de mama, é fundamental mostrar os avanços tecnológicos. Em 1960, foi criado o primeiro equipamento para realizar mamografia, considerado um dos exames mais importantes até hoje para o diagnóstico da doença. Já em 1996, é lançado o primeiro sistema de biópsia a vácuo, facilitando a identificação dos primeiros sinais do câncer.

Cirurgias cada vez menos invasivas, com o uso da robótica, aparelhos de radioterapia que só atingem áreas doentes, desenvolvimento de quimioterápicos que causem menos mal-estar e cirurgias de reconstrução mamária também são inovações na área.

É importante conhecer o histórico do câncer de mama e todos os avanços no controle e tratamento da doença. Assim, cada vez mais, as pessoas se informam e também podem se sensibilizar, participando de iniciativas de apoio a pacientes.

Quer saber mais sobre câncer de mama? Siga as nossas páginas no Facebook e Instagram e fique por dentro!