Voltar para listagem
Autor(a):

Laço Rosa

Laço Rosa

Data do Post
30/05/2019
/

Transgêneros e o câncer de mama

Transgêneros

Pessoas transgêneras experimentam uma incongruência entre o gênero atribuído a elas no nascimento e o experimentado ou expresso. Na Holanda é estimado que 2800 pessoas que tem o sexo atribuído como masculino no nascimento e 5200 nascidas com o sexo atribuído como feminino se identificam como transgênero.

Transgêneros podem receber afirmações de gênero através de tratamento com hormônios (esteróides sexuais) para reduzir angústia e induzir mudanças físicas desejadas, tais quanto aos pelos corporais e composição corporal.

Levando em consideração esse cenário e que o desenvolvimento de alguns tumores de câncer de mama são estimulados por hormônios sexuais, qual é o risco que os tratamentos de afirmação de gênero traz às pessoas que o recebem?

Sobre a pesquisa

Nos últimos 10 anos, foi verificado um aumento substancial no número de encaminhamentos para aconselhamento psicológico, para tratamento endócrino ou cirúrgico, ou uma combinação deles. Apesar desse movimento, os dados sobre a população transgênero e o câncer de mama são muito limitados.

Para a pesquisa, foram identificadas pessoas transexuais que visitaram a clínica de gênero de VU University Medical Center Amsterdam entre 1972 e janeiro de 2016. Foram excluídas as pessoas: que nunca usaram o tratamento hormonal ou a data de início era desconhecida; que eram menores de 18 anos na época do estudo e que usaram estrogênio e testosterona alternadamente durante o acompanhamento por causa do arrependimento de sua transição.

Resultados

O estudo encontrou um risco aumentado de câncer de mama em mulheres trans (sexo masculino atribuído ao nascimento, sexo feminino identidade) na Holanda em comparação com homens cisgêneros (pessoa que se identifica com o gênero determinado no nascimento) holandeses.

Tanto em mulheres trans, quanto em homens trans, o risco de câncer de mama foi menor que em mulheres cisgêneras holandesas. Isso sugere que o hormônio de tratamento altera o risco de câncer de mama em pessoas transgêneras em comparação com o risco inicial, relacionado ao gênero atribuído ao nascimento.

A idade média do diagnóstico de câncer de mama foi de 52 anos em mulheres trans e 46 anos em homens trans, ambas as idades inferiores a 61 anos,  média em mulheres cisgênero holandesas. O status do receptor HER2 em mulheres trans foi maior que o esperado em câncer de mama em homens cisgêneros.

Um achado surpreendente foi que em mulheres trans o risco de câncer de mama aumentou em tempo relativamente curto.

O risco absoluto de câncer de mama em pessoas transexuais permanece baixo, e seguindo as diretrizes de rastreamento do câncer de mama para pessoas cisgêneras parece ser suficiente para pessoas transexuais que usam tratamento hormonal.

Fonte: BMJ