Voltar para listagem
Autor(a):

Dr. Gilberto Amorim

Dr. Gilberto Amorim

Médico oncologista, Coordenador do Grupo de Oncologia Mamária da Oncologia D´Or, Ex-Chefe da Oncologia Clínica do HCIII INCA, Editor do Manual de Condutas de Câncer de Mama da SBOC e titular da American Society of Clinical Oncology (ASCO), Conselheiro científico da Fundação Laço Rosa.

Data do Post
18/10/2019
/

Vacinas e Câncer de mama

Fui pesquisar o tema no clinicaltrials.gov. É o maior site sobre pesquisa clínica do mundo.

O Dr Keith Knutson – Mayo Clinic🇺🇸 não tem nenhum estudo em andamento como principal investigador.

Achei cerca de 200 estudos finalizados ou em andamento cruzando “breast cancer” e “vaccines”…a maioria com um número mínimo de pacientes.

Em andamento mesmo cerca de 50.

Nenhum fase III que é a fase pré-aprovação.

14 na fase II, em que avaliamos se de fato funciona, muitos fase I ainda que a fase em que nem sabemos o que vai acontecer…NÃO HÁ NENHUMA VACINA APROVADA PARA O CÂNCER DE MAMA – ou em vias de ser aprovada.

Temos de aguardar os estudos. É “honesto” especular – mas um pouco futurista ainda –  que em 8 anos possamos ter vacinas já aprovadas e comercializadas contra o câncer de mama triplo negativo ou her2. Mas temos de ser responsáveis na divulgação das informações para não criar expectativas fora da realidade.

Está na mesma linha da “CART-Cell Therapy”…Terapia Celular inovadora apresentada semana passada para um caso de LINFOMA refratário…fantástico que uma universidade brasileira tenha material humano para desenvolver essa linha de pesquisa tão sofisticada, e a um custo muito menor que os “bizarros” 478 mil dólares americanos da que foi aprovada pelo FDA, mas essa estratégia de tratamento requer muito mais testes, muita qualificação dos centros de tratamentos (UTIs inclusive), maior número de pacientes não só em linfomas e leucemias refratários mas quem sabe no futuro em tumores sólidos, como câncer de mama e tantos outros tipos. A história do paciente é fantástica, tomara que seja reproduzida em muitos outros casos.

São reportagens importantes mas acabam causando muita ansiedade e por vezes desepero em quem está muito doente (ou quem tem um ente querido muito doente). Ao invés de gerar uma boa expectativa para o futuro gera tumulto e confusão no presente. Estamos de 👁 e esperançosos de que muitos avanços virão.

INFORMAÇÃO (ou a desinformação) é um instrumento muito poderoso, temos que usar com muito cuidado.

Gilberto Amorim

Oncologista

Conselheiro científico da FundaçãoLaço Rosa

Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica – SBOC

Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica – Sboc-RJ

Oncologia D’Or OncoStar

#cancerdemama #vacinas #pesquisaclínica