Voltar para listagem
Autor(a):

Laço Rosa

Laço Rosa

Data do Post
04/06/2021
/

Você sabe como a quimioterapia funciona?

Você sabe como a quimioterapia funciona? Conhece suas fases? É importante saber como elas acontecem para ficar mais tranquilo em relação ao que está por vir. Além disso, é essencial sanar as dúvidas sobre o que realmente é verdade e não dar atenção a quem não sabe como o procedimento funciona e, com isso, traz informações erradas.

Neste post, você vai encontrar esclarecimentos sobre as fases da quimioterapia, como elas funcionam, compreender quais são os efeitos colaterais do procedimento e entender qual é sua importância no tratamento contra o câncer. Continue a leitura e confira!

Qual é a importância e como a quimioterapia funciona?

O funcionamento da quimioterapia se dá porque ela age combatendo as células responsáveis pela formação dos tumores cancerígenos. Trata-se de um tratamento essencial, pois cada medicamento aplicado no procedimento age em diferentes etapas do crescimento do tumor e impede que ele se espalhe para outros órgãos (metástase).

Em alguns casos, a terapêutica quimioterápica pode ser associada a outros tratamentos, como cirurgia e radioterapia. Há situações, entretanto, em que ela pode ser o único procedimento prescrito e adotado para o combate à doença.

Quais são as fases da quimioterapia?

A quimioterapia é composta por diferentes etapas, mas é importante lembrar que nem todos os pacientes passam por todas essas fases. Acompanhe, a seguir, quais são as principais delas!

Quimioterapia adjuvante

Essa fase é administrada após a realização da cirurgia (quando houver essa indicação). Seu principal objetivo é eliminar as células cancerígenas remanescentes e, com isso, aumentar as chances de cura do paciente. É válido ressaltar que a quimioterapia adjuvante funciona ajudando a reduzir o risco de reaparecimento da doença.

Quimioterapia neoadjuvante

A quimioterapia neoadjuvante tem como objetivo diminuir o tamanho do tumor para facilitar sua retirada na cirurgia. Por esse motivo, ela é administrada antes da operação e ocorre, principalmente, quando é preciso tratar tumores avançados localmente. Ela permite, ainda, verificar como o câncer responde ao tratamento.

Quimioterapia para doença metastática (ou Exclusiva)

Essa etapa da quimioterapia funciona para pacientes que já sofrem com a metástase. Ou seja, é utilizada quando a doença já atingiu outras áreas do corpo.

Quimioterapia combinada

Trata-se da associação da quimioterapia à radioterapia visando aumentar a eficácia do tratamento.

Como a quimioterapia é feita?

A quimioterapia funciona através da administração de medicamentos, que podem ser aplicados via oral, intravenosa, injetável, entre outras. Conheça as principais.

Oral

Por essa via, o paciente ingere comprimidos, cápsulas ou soluções. Neste caso, a administração pode ser realizada em casa pelo próprio paciente.

Injetável

Neste caso, são aplicadas injeções, podendo ser aplicadas em várias partes do corpo, segundo o tipo de câncer. Pode ser feita em consultório médico, clínica, ambulatório ou hospital. A injeção pode ser:

Intravenosa

Aqui, o tratamento deve ser realizado no hospital, consistindo na administração do quimioterápico em formato líquido. Para isso, um tubo finíssimo é colocado diretamente em uma veia do paciente.

Tópica

Usada principalmente para o câncer de pele ou oral, neste caso, o medicamento é aplicado diretamente sobre a pele sob forma de gel, creme ou pomada.

Quais são os efeitos colaterais da quimioterapia?

Embora a quimioterapia tenha como objetivo destruir as células cancerígenas em desenvolvimento, infelizmente, ela também afeta as que estão saudáveis. Entre elas, estão as células responsáveis pela ação no sistema digestivo, no sangue e aquelas que fazem com que o cabelo cresça. Por isso, seus efeitos colaterais incluem feridas na boca, dores, náuseas, vômitos, queda de cabelo, ressecamento de pele, além de descamação das solas dos pés e das palmas das mãos, conhecida como síndrome mão-pé.

No entanto, o desenvolvimento desses efeitos depende da quantidade de quimioterápicos administrados e, claro, de como o corpo reage a eles. Sua duração varia de acordo com o tipo de quimioterapia e, por isso, é sempre importante conversar com o médico para ser orientado sobre o que fazer quando os efeitos colaterais aparecerem. Além disso, existem medicamentos e atitudes que aliviam esses sintomas.

Quanto tempo dura a quimioterapia?

O tempo de duração da quimioterapia varia de acordo com o tipo de tumor, com o objetivo do tratamento (visando a cura ou como paliativo), dos medicamentos utilizados e de como o organismo responde ao tratamento.

As sessões de quimioterapia funcionam em períodos diferentes, que podem ser diários, semanais ou até mensais. Em geral, ela é administrada em ciclos — que geralmente duram algumas semanas —, e cada um deles é seguido por um período de descanso, para que o corpo se recupere. 

Qual o tempo médio de recuperação do paciente?

A quimioterapia não é igual para todo mundo. Isso porque cada paciente pode precisar de um tipo ou dose diferente de quimioterápico e também porque os organismos são diferentes entre si e reagem de maneiras distintas frente aos medicamentos. Além disso, o tempo de recuperação depende de cada caso, do estágio do câncer etc.

Com relação ao tempo de permanência do quimioterápico no organismo, podemos dizer que depende do tipo de droga usada. As citotóxicas — que são as que atacam as células que se multiplicam rapidamente — duram de horas a alguns dias.

Os anticorpos duram um tempo mais longo no corpo, entre vários dias a meses. Já os medicamentos bloqueadores hormonais (em comprimidos) e inibidores de reaplicação permanecem poucos dias no organismo do paciente. Por tudo isso, é muito difícil afirmar em quanto o paciente se recuperará.

Conhecer as fases e saber como a quimioterapia funciona é fundamental para se preparar para superar esse momento delicado. O apoio da família e dos amigos é muito importante para aliviar a pressão e o medo sobre os próximos procedimentos.

Este post foi útil para você? Então, deixe um comentário! Queremos saber se você já teve alguma experiência com quimioterapia. Seu relato pode ajudar outras leitoras.