Voltar para listagem
Autor(a):

Marcelle Medeiros

Marcelle Medeiros

Empresária. Fundadora e Presidente Voluntária da Fundação Laço Rosa. Pós graduada em gestão de projetos sociais e marketing. Conselheira estadual de saúde e integrante do Conselho de Direitos da Mulher da cidade do Rio de Janeiro; Labber 2015; Fellow PFP women empowrment; Vencedora da maratona de negócios sociais do Sebrae. Palestrante em eventos nacionais e internacionais.

Data do Post
22/01/2021
/

Conheça agora mesmo o poder da doação

O poder da doação ficou ainda mais claro durante a pandemia do coronavírus. Como as medidas de isolamento social intensificaram a desigualdade social, cujas ações de combate do Estado ainda são ineficazes, contar com uma rede de solidariedade para ajudar as instituições sociais que contribuem com políticas públicas foi fundamental.

Ao todo, foram contabilizados mais de R$5,6 bilhões durante a pandemia, segundo o Monitor de Doações. Isso evidência a importância de organizações privadas e projetos sociais responsáveis por esse tipo de trabalho. O desafio é conseguir fazer com a sociedade enxergue a importância desse tipo de ação em outros contextos, já que setores necessitados é que não faltam.

Então, quer entender mais sobre como o poder da doação pode salvar, melhorar a qualidade de vida de milhares de pessoas e, ainda, resultar no crescimento pessoal de quem doa? Continue a leitura!

O poder da doação

Conforme mencionado, durante a pandemia do coronavírus foi registrado uma maior procura por doações, já que se trata de um contexto de urgência. Contudo, é preciso que essa cultura seja fortalecida para além da crise sanitária atual. Entenda abaixo como isso é importante.

Empatia

Empatia se refere à capacidade de alguém se colocar no lugar de outro, caso passasse pela mesma situação. Sendo assim, quando doamos, muitas vezes entendemos o nosso privilégio — que pode ser financeiro, de gênero, orientação sexual etc. — e nos colocamos no lugar de quem precisa de algum apoio, o que é fundamental para construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Gratidão

O Brasil é o sétimo país mais desigual do mundo, o que significa que boa parte da renda brasileira fica concentrada nas mãos de poucos. Isso significa que direitos básicos como moradia, educação e saúde — especialmente em casos de doenças que exigem um longo tratamento como o câncer —, na prática, não são todos.

Assim, se você se encaixa na categoria de pessoas com maiores condições financeiras, por que não demonstrar gratidão por isso e contribuir para instituições que apoiam quem não tem tantas condições?

Crescimento pessoal

Ainda tem dúvidas sobre os benefícios falados até aqui? Saiba que pesquisas realizadas pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, comprovaram que o ato de doar ajuda a tornar as pessoas mais felizes e, ainda, afeta áreas do cérebro ligadas ao altruísmo, comportamento social e capacidade de tomar decisões.

Em outras palavras, ajudar a melhorar a qualidade de vida de alguém ou até a salvar vidas pode contribuir para o crescimento pessoal dos doadores, já que aumenta a sensação de felicidade e realização.

Percebeu o poder da doação e quer saber mais sobre o ato? Existem várias formas de doar, uma das mais seguras é diretamente para instituições, que vão administrar os recursos doados e prestar conta das realizações. Ao fazer isso para a Fundação Laço Rosa, por exemplo, você contribui para mudar a realidade de mulheres vítimas do câncer de mama no Brasil.

Então, quer saber mais sobre a Fundação Laço Rosa e como a doação pode influenciar políticas públicas de saúde? Entre em contato conosco!