Voltar para listagem
Autor(a):

Laço Rosa

Laço Rosa

Data do Post
07/10/2021
/

Por que fazer terapia durante e após o câncer de mama? Entenda

Receber um diagnóstico de câncer não é uma notícia agradável e pode influenciar muito nas emoções, tanto da paciente quanto da família. Por mais que a maioria dos casos de oncologia descobertos no início da doença tenham mais chances de cura, é comum encará-la como uma sentença de morte e as pessoas se perguntam: por que fazer terapia?

O tratamento de câncer é difícil, pois traz efeitos colaterais dolorosos de lidar, como náusea, fraqueza, ganho ou perda de peso, queda de cabelo e outros incômodos decorrentes dos remédios, quimioterapia e radioterapia. Portanto, a terapia nesse processo de tratamento e, principalmente, após um câncer de mama pode amenizar os efeitos negativos da doença.

Entenda mais, neste post, sobre por que fazer terapia nessas etapas. Boa leitura!

Por que fazer terapia?

A terapia para pacientes com câncer é bem-vinda em todas as etapas da doença. Portanto, ao receber a notícia, ela ajuda a lidar com as inseguranças do momento e se preparar para o procedimento que será feito. Já durante o tratamento, a terapia auxilia amenizando as dores físicas, a depressão e a vontade de isolamento. Além disso, o efeito positivo da terapia pode influenciar no bom resultado das intervenções médicas.

Sobretudo, após vencer o câncer, a terapia se torna indispensável, principalmente, nos casos de mulheres que perdem o cabelo e retiram a mama. Afinal, são dois órgãos ligados à autoestima feminina. Nessa etapa, a ajuda psicológica dá apoio à paciente para recuperar a vaidade e o interesse em se cuidar, devolvendo sua segurança e lugar na sociedade e facilitando o retorno ao trabalho.

Qual a importância da terapia individual?

Apesar de a medicina ter avançado muito nos últimos anos, a fim de aumentar a expectativa de vida, bem como as chances de cura dos pacientes com câncer, é normal a pessoa associar a sua enfermidade com a morte. Além disso, o medo de perder o corpo saudável, o amor da família e a autonomia.

Com todas essas aflições, a enferma tem dificuldade em deixar outras pessoas cuidarem dela. Por isso, a terapia individual é um momento indispensável, no qual paciente e ex-paciente podem expor todos os seus medos sem sofrer julgamentos e encontrar apoio para se olhar com mais carinho.

As mulheres que sofrem com câncer de mama, geralmente, têm mais facilidade para buscar ajuda psicológica. Durante todas as etapas da enfermidade, é notável quanto o astral das pacientes aumenta e ameniza o sofrimento do problema. Depois da cura, a mulher pode sentir até mais confiança em si mesma.

E da terapia familiar?

Não é só a paciente que sofre com o diagnóstico, afinal, um familiar ou um amigo — aquela pessoa mais próxima da enferma — teme pelo resultado do tratamento. No entanto, os medos são diferentes, pois essa pessoa próxima se pergunta por que a doença atingiu quem ela tanto ama. Sobretudo, tem a preocupação de a paciente não aguentar o tratamento.

O porquê de fazer terapia familiar também traz uma resposta, indicando a importância do apoio psicológico aos envolvidos. Entender como será o procedimento e como a família pode apoiar uns aos outros, dando o acolhimento necessário para o enfermo, é essencial para melhorar a qualidade de vida da paciente. Afinal, todas as etapas da doença, por mais difícil que seja, trazem aprendizados para todos os envolvidos.

Se interessou por esse tema e foi útil para você? Então, siga as nossas redes sociais para ter mais informações sobre o assunto! Estamos no Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn e YouTube.