Voltar para listagem
Autor(a):

Natali de Araujo

Natali de Araujo

Data do Post
25/03/2022
/

Alimentação e câncer de mama: entenda como se cuidar!

Você sabe qual a relação entre boa alimentação e câncer de mama? Manter uma dieta equilibrada é fundamental para que qualquer pessoa tenha boa qualidade de vida e diminua o risco de desenvolver doenças. Para as pacientes oncológicas, um cardápio saudável é ainda mais importante, pois a ingestão dos alimentos corretos ajuda a fortalecer o organismo e a minimizar os efeitos colaterais do tratamento.

Ao mesmo tempo, nos casos de câncer de mama, o consumo equilibrado de vitaminas e demais nutrientes impacta diretamente na eficácia dos procedimentos. Por esse motivo, elaboramos este conteúdo com informações valiosas sobre os cuidados que você deve ter com a alimentação. Acompanhe!

Como a alimentação interfere no tratamento de câncer?

O principal poder da boa alimentação em um momento como esse é o de fortalecer o organismo no processo quimioterápico. Sabe-se que, ao destruir as células cancerígenas, outras também são afetadas e o ato de se alimentar bem tende a retardar ou minimizar os danos do tratamento.

Sem mencionar que diversas frutas e legumes têm potencial de aumentar nosso bem-estar e ânimo, essenciais para manter o otimismo e a saúde mental durante as sessões. Alguns exemplos são a banana, o abacate e o açaí. Os números de desnutrição em pacientes com câncer são alarmantes e é importante combatê-los no dia a dia. Para reduzir essas chances, é muito importante seguir as dicas a seguir.

Mantenha-se bem hidratada

A água é essencial para manter o bom funcionamento do corpo e para prevenir uma série de doenças que podem ser concomitantes com o quadro oncológico. Alguns remédios, principalmente os quimioterápicos, tendem a prejudicar a ação dos rins.

Sendo assim, beber cerca de 2 litros de água diariamente é a melhor forma de estimular a circulação sanguínea e favorecer as funções renais. Ainda, há o fato de que a desidratação pode agravar os efeitos colaterais dos medicamentos, como náusea, perda de apetite e indisposição.

Consuma mais vegetais

De acordo com nutricionistas, o prato ideal é composto por metade de vegetais e a outra metade deve ser dividida entre carboidratos e proteínas. Então, é extremamente importante que você inclua muitos legumes e verduras em suas refeições. Os vegetais são fontes riquíssimas de vitaminas, antioxidantes, minerais, aminoácidos, fibras e diversos outros nutrientes que ajudarão a restabelecer sua saúde e melhorar seu bem-estar.

Aproveite que há uma grande variedade de legumes e verduras e diversifique suas receitas. Do mesmo modo, inclua frutas em seu cardápio na forma de sucos naturais, como sobremesa ou mesmo no lanche entre as principais refeições.

Diminua o consumo de açúcar

Embora esteja presente em vários alimentos do nosso cotidiano, o açúcar refinado não é indicado, em virtude do risco de desenvolver diabetes. Sua ingestão durante o tratamento para câncer de mama é ainda mais prejudicial, pois as células que formam o tumor podem ser estimuladas pela glicose. Assim, consumir açúcar potencializa a multiplicação das células cancerígenas.

Como os carboidratos são fundamentais para fornecer energia ao organismo, o ideal é optar pela ingestão de carboidratos complexos, tais como:

Inclua mais fibras nas refeições

Quando ingeridas, as fibras solúveis chegam intactas ao intestino. Assim, conseguem fazer com que o corpo absorva com mais eficácia todos os nutrientes da dieta e evita os picos de insulina. Entre os alimentos ricos desse tipo de fibra estão as sementes oleaginosas (linhaça, gergelim, semente de girassol e de abóbora), frutos secos (castanha de caju, do Pará, nozes, pistache, amêndoas), cereais e frutas.

Como os procedimentos oncológicos geralmente causam enjoos, perda de apetite e alterações no paladar, o ideal é fracionar suas refeições, isto é, comer mais vezes ao longo do dia em porções menores. Isso ajudará você a se alimentar corretamente e a driblar esses efeitos indesejados que os tratamentos causam.

Por que ter bons hábitos alimentares durante o tratamento de câncer?

Sabe-se que, independentemente do tratamento recomendado pelo oncologista, passar pelas sessões não é nada fácil. O efeito dos remédios tende a enfraquecer o organismo como um todo e, sem a devida ajuda da paciente, é possível que não só leve mais tempo para uma recuperação completa, como as chances diminuam, visto a vulnerabilidade do corpo para ser atingido por outras doenças.

Uma pessoa com câncer e em tratamento tem demandas calóricas e proteicas específicas, por isso, é ideal que seja acompanhada por um profissional da área de nutrição. Horários, quantidades e nutrientes devem ser considerados na hora de montar a dieta. A perda de peso e apetite são normais, então, alimentar-se bem é essencial para preservar o bem-estar e a saúde.

Alguns alimentos têm o poder, inclusive, de minimizar os efeitos da quimioterapia, como a náusea e o enjoo. O consumo de gengibre pode ajudar nisso. Outro efeito comum é a anemia. Portanto, vale a pena incluir folhas verde-escuras e proteínas animais na rotina alimentar.

O que se deve evitar?

foi comprovado que a leucina, um aminoácido presente em vários alimentos, como queijo e frango, pode atrapalhar o tratamento do câncer de mama mais comum. De alguma forma, a ingestão dessa substância enquanto se trata da doença intensifica a ação das células cancerígenas. E restringi-la, tinha o efeito contrário. Por outro lado, o estudo está em constatações preliminares e não se recomenda que os alimentos que contêm o aminoácido sejam removidos da dieta, pois poderia levar a uma deficiência proteica.

Nutricionistas apontam que, mediante diagnóstico, não há prova de que um ou outro alimento seja 100% benéfico ou maligno. Portanto, a prioridade deve ser manter o peso do paciente e favorecer uma ingestão equilibrada de nutrientes. Isso significa que, assim como foi pontuado nos tópicos anteriores, é necessário priorizar o consumo de alimentos frescos e comida de verdade. Itens processados e ultraprocessados devem ser excluídos da rotina alimentar, pois são pobres em nutrição e podem agravar um eventual quadro de anemia ou desnutrição.

Vale lembrar de que os mesmos cuidados para ter qualidade de vida durante o tratamento oncológico podem ser antecipados para se prevenir contra ela. Praticar uma atividade física que goste (pelo menos 150 minutos por semana) e cuidar da saúde mental são essenciais para investir na sua longevidade.

Agora que você já conhece a relação entre boa alimentação e câncer de mama, siga as dicas deste post para melhorar o seu bem-estar durante essa batalha. Assim, você vai aumentar sua qualidade de vida e potencializar os resultados dos tratamentos, para que a sua saúde se restabeleça o mais breve possível.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, nos siga nas redes sociais e acompanhe publicações exclusivas! Estamos no FacebookTwitterInstagramYouTube e LinkedIn.